Dino

Google Ads dispara em 2021 na corrida para captura de leads qualificadas
DINO
Google Ads dispara em 2021 na corrida para captura de leads qualificadas

A empresa Alphabet (dona do Google) reportou um crescimento de 34% no primeiro trimestre de 2021, em comparação ao ano anterior, tendo um lucro aproximado de US$ 18 bilhões, superando todas as expectativas do mercado. Esse crescimento é a resposta dos empresários, que buscaram na tecnologia soluções para restabelecer suas receitas, saindo do impacto que tiveram nos últimos 2 anos, aumentando seu faturamento e com isso tendo uma lucratividade maior.

Com as restrições de horários de funcionamento dos negócios locais, a única solução era partir para o Marketing Digital, mantendo o negócio de pé com estratégias diferenciadas e por muitos, nunca antes utilizadas.

Segundo a Mobills, startup de finanças pessoais, o aumento nas buscas por aplicativos de entrega e alimentação como iFood, Uber Eats e Rappi foi de 149% no ano de 2020 e, provavelmente, esse número será ultrapassado em 2021.

Em meio a esse cenário, muitas empresas de Marketing Digital se destacaram, conseguindo um aumento significativo de clientes. Algumas startups cresceram mais de 350%, como no caso da Social Cliques , especializada em captação de clientes (leads).

Enquanto algumas empresas investiram no mercado digital, a pandemia fez as algumas empresas do mercado tradicional que sobreviveram terminar 2020 no prejuízo, e elas tiveram de ser criativas. Agora, com a nova onda da doença e mais restrições, empreendedores têm de apostar mais ainda em novos formatos de negócios, produtos e relacionamento com clientes. Mas a maioria fica sem saber o que fazer em meio às restrições, momento em que as agências de marketing que sabiam como fazer o processo de captação de leads se saíram bem.

"Nesse momento existem milhares de pessoas procurando um produto ou serviço no Google, a questão é: quem está lá?", diz Thiago Eddine, CEO da Social Cliques .

Alguns clientes conseguiram lucrar muito mais em um mercado que não conheciam, em um contexto em que não tinham ideia de como estabelecer suas empresas nas primeiras posições do Google. A briga pelos primeiros lugares é bem acirrada quando se fala em tráfego orgânico. Muitas vezes também é difícil de conseguir, dependendo do investimento.

Segundo o Especialista Neil Patel, são vários fatores para que um site fique bem colocado nas primeiras páginas e posições do Google, levando alguns meses no melhor dos cenários. Comparado com o Ads, isso muda completamente, sendo possível conseguir de 1 a 7 dias nas primeiras posições, por se tratar de uma campanha paga.

"Todo o conteúdo precisa ser muito bem elaborado e é preciso pensar em layout, chamadas para ações (CTA), atendimento no chat, painel CRM, copywriting e um bom treinamento para quem fará o atendimento na ponta (time comercial)", completa Thiago Eddine.

De acordo com o Aberdeen Group, a cada 1 segundo a mais no carregamento de uma página, ela perde 11% nas visualizações. A satisfação do cliente também diminui para 16%. Outra pesquisa, realizada pela Kissmetrics, aponta que 40% dos visitantes abandonam páginas que levam mais de 3 segundos para carregar. Cada 1 segundo a mais no tempo de carregamento do site reduz em 7% às conversões.

Segundo pesquisa da Amazon, um segundo a mais no carregamento da página provoca a queda de 7% na taxa de conversão. Se um e-commerce vende diariamente a média de 100 mil reais, o seu prejuízo pode chegar a 2,5 milhões em um ano. 


As empresas concluíram com isso que se faz necessária a presença no Google, seja via processo de SEO ou Google Ads, para conseguirem mais clientes, aumentando o faturamento.

alt

Website: https://socialcliques.com.br

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários